Num Habano tudo é Tabaco Negro Cubano, descendente directo das plantas que Colombo descobrira em Cuba há mais de quinhentos anos.

Duas formas diferentes de cultivo produzem as diferentes qualidades de folhas requeridas.

As folhas para a capa são cultivadas em campos de tabaco tapado, que estão totalmente protegidos do sol graças à tela que os cobre.

As folhas para a tripa e capote (tabaco de sol) são cultivadas ao ar livre. Desta forma a plenitude do sol de Cuba é aproveitado.

Em cada caso as folhas apresentam características diferentes conforme a sua altura na planta.

Cada folha é classificada conforme as suas características.

Cada folha tem o seu próprio destino.

 

 

Vega ou Campo de Tabaco Tapado

 

 

A tela de tapado filtra a luz solar e retém o calor permitindo assim que as folhas cresçam mais e sejam mais finas: estas são as condições ideais para a folha de capa. Apenas as folhas maiores e mais finas são seleccionadas como capas para a produção de Habanos. As folhas para as capas são as que têm a produção mais cara de todas as que compõem um Habano.

 

O sol de Cuba em todo o seu esplendor cria esta gloriosa variedade de sabores que se combinam para conferir um requintado e complexo sabor a cada Habano.

Medio Tiempo: folha de tripa com maior fortaleza ou sabor. Muito escassa, provém das 2 folhas superiores da planta.

Ligero: folha de tripa, com grande fortaleza ou sabor. Provém da parte superior da planta.

Seco: folha de tripa, de fortaleza mediana, essencial para o aroma, que se recolhe da parte central da planta.

Volado: folhas da parte inferior da planta, de menor fortaleza e elevada combustão. São utilizadas na tripa e no capote.

 

Vega ou Campo de Tabaco de sol