Materiais 

Até à introdução do acrílico pela Castello na década de 1960, a esmagadora maioria das boquilhas dos cachimbos de urze era feita em ebonite ou vulcanite, uma mistura de enxofre com borracha vulcanizada que começou a ser utilizada em 1870. 

Durante longos anos, o uso de ebonite de má qualidade levava a que – por acção da luz, do ar e da humidade – a capa das boquilhas oxidasse, perdesse a cor brilhante e ganhasse um sabor desagradável, exigindo uma limpeza constante, nomeadamente por meio da aplicação de uma solução de vulcanite alemã de superior qualidade eliminou este risco, embora nos cachimbos mais baratos muitos fabricantes continuem a utilizar um tipo de ebonite que necessita de limpeza regular.

A maioria dos artesãos e fabricantes italianos, e não só, prefere trabalhar com boquilhas em acrílico (metacrilato, lucite ou plexiglas), um pouco mais duras do que a ebonite, mas com a vantagem de manterem o brilho e resistirem sem problemas à oxidação.

As boquilhas de cumberland – inventadas pela Dunhill e cujo nome vem de Cumberland Road, local da antiga fábrica da marca inglesa -, originalmente apenas feita de vulcanite, caracterizam-se pelos seus laivos castanhos e vermelhos. Também são chamadas boquilhas de brindle quando são produzidas com materiais acrílicos.

Outros materiais também usados na produção de boquilhas: madeiras diversas, baquelite, chifre, âmbar, âmbar sintético, ultem, perspex, etc.

Formas

Há três formas principais de boquilhas: cónica (taper), em sela (saddle e lovat saddle) e militar (army). Na zona do calce, que o fumador introduz na boca, a forma das boquilhas também difere:

  • Fish-tail (rabo de peixe) – a forma mais comum e que canaliza o fumo para a língua, mas cujo orifício pode variar (wide bore, round bore, twin bore). As boquilhas com acabamento twin bore têm duas saídas para aspiração, que se juntam mais à frente num único canal de fumo. A distribuição do fumo pelos dois furos contribui para que o mesmo chegue à boca com maior arrefecimento.
  • Lip-bit – forma popularizada pela marca irlandesa Peterson, com o furo colocado na parte superior da boquilha.

In "Cachimbos-Marcas, Fabricantes e Artesãos"  por José Manuel Lopes da Quimera Editores