No essencial, o cachimbo é um objecto que permite, através de um tubo, aspirar o fumo do tabaco (ou de outras plantas) depositado num recipiente. O cachimbo comum, em urze, é constituído por três partes fundamentais: 

  • Cabeça/fornilho: onde se coloca o tabaco, tem uma forma anatómica e deve ser agradável ao contacto com a mão do fumador.
  • Canela: normalmente inseparável da cabeça, une esta à boquilha e tem no interior o canal de fumo; pode ser recta ou não, consoante o ângulo que forma com a cabeça do cachimbo.
  • Boquilha: autónoma em relação ao resto do cachimbo, permite a condução do fumo até à boca e deve encaixar perfeitamente na canela.

 O cachimbo pode ainda dispor de um filtro. Existem no mercado vários tipos de filtros: de papel, carvão, madeira de balsa, sílica, etc. Muito usados na Europa Central – quase obrigatórios na Alemanha (filtros para cachimbos de 9mm) -, devem ser substituídos após uma ou duas fumadas. Os filtros são introduzidos na boquilha e destinam-se, alegadamente, a permitir uma fumada menos nociva, ao absorverem os líquidos da condensação e parte da nicotina. Contudo, tendem igualmente a acumular humidade, pelo que, com excepção dos filtros de balsa, não os recomendamos, antes sugerimos que amntenha o seu cachimbo limpo e que o deixe repousar entre fumadas.

Erradamente, é por vezes também chamado filtro ao pequeno tubo metálico que alguns fabricantes aplicam no espigo. Mais correcto será designá-lo por “arrefecedor”, embora, na nossa opinião, deva ser descartado, por apenas contribuir para maior acumulação de humidade.

In "Cachimbos-Marcas, Fabricantes e Artesãos"  por José Manuel Lopes da Quimera Editores