A HTL ("Homogeneised Tobacco Leaf") é um produto artificial, que se apresenta em finas folhas, como se fosse papel, e que resulta de uma operação que passa pela trituração de desperdícios de tabaco, que se misturam com água e celulose. Este material é usado pela indústria para o fabrico de charutos em substituição de um dos elementos do charuto, normalmente para o elemento Capote, ficando escondido debaixo da Capa. Este recurso ao HTL diminui significativamente o custo de produção, já que substitui a folha natural do tabaco que um produto 100% tabaco tem que ter. 

A maioria das cigarrilhas recorre a esta opção, pelo que nas suas embalagens são omissas a este respeito. Mas há algumas marcas que preferem manter a pureza do tabaco genuíno, como produto natural, e por isso, essas, podem, e fazem-no sempre, inscrever no exterior das suas embalagens, a expressão 100% Tabaco. E estas são evidentemente melhores em termos de sabores e qualidade, embora o seu preço também seja distinto das marcas que recorrem ao HTL. 

Nos últimos anos a concorrência tem-se acentuado, o que tem levado algumas marcas a lançarem cigarrilhas de muito baixo preço, e conseguem fazê-lo usando a HTL, não só no Capote como também na própria Capa. Basta olhar para o seu aspecto, com uma cor tão uniforme, para se perceber que se trata de um produto quase todo artificial. Apenas a tripa ainda é tabaco. 

No entanto, os bons apreciadores de bons puros, habituados que estão aos formatos de charutos maiores, preferem as cigarrilhas que são produzidas exclusivamente com folhas de tabaco, por ser um produto de maior qualidade, genuíno e proporcionar mais prazer.